Túneis de vento

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Assistindo à palestra realizada no Instituto de Engenharia apresentada pelo Dr. Gilder Nader sobre os ensaios de túnel de vento realizados no IPT de São Paulo percebi várias curiosidades que gostaria de compartilhar.

  • É interessante saber que os ensaios recorrentes em um dos maiores (se não o maior) centro de referência de pesquisas brasileiro os ensaios de edifícios tem chegado a somente 183m de altura no maior modelo testado. Felizmente o palestrante esclareceu que serão feitos ajustes e também existe o interesse de algumas empresas em começar estudos com edifícios de até 300m.
  • Aquilo que considero mais preocupante, pois conforme a variação dos ensaios chegou-se a valores de pressão maiores que os obtidos por norma. Seria muito interessante sabermos os principais fatores que provocam esse comportamento para que fosse considerado uma alerta para os projetistas de estruturas com estas características. Também muito importante fazer a verificação estrutural para que houvesse a análise se os esforços obtidos do ensaio pudessem gerar resultados de esforços além dos previstos com utilização da NBR 6123, já que curiosamente os valores máximos de pressão obtidos nos ensaios não estão exatamente no topo dos edifícios.
  • A dificuldade em promover a comissão de norma para que a norma vigente de calculo dos esforços de vento seja adequada. Considerando que a norma é composta por empresas e organizações tais como institutos e universidades, que liberam seus profissionais para participação nas mesmas, não consiga custear uma reunião onde praticamente todos que a compõe sejam “voluntários” (digo isso pois já tive experiência ao participar alguns comitês de norma). Mesmo que seja  então os custos de ensaios e demais trabalhos de confirmação de resultados, a falta de interesse das empresas e organizações envolvidas é algo complicado de entender pois ajudariam a combater ou confirmar custos com coberturas de galpões, principalmente para grandes obras que necessitam de seguradoras mundiais de porte enorme, existem exigências de vento que são consideradas absurdas por vários projetistas.
  • A consideração dos vórtices criados por edifícios ao redor do ensaiado pode gerar aumento de carga dinâmica atuando na estrutura acredito que seja um fato pouco levado em consideração pelos projetistas atualmente.

Um grande abraço.

Ronaldo Mendes Salles

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *