Tesla superando os acidentes de percurso

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Depois de acidentes com fatalidades, volta à tona a aplicabilidade dos carros autônomos nas ruas.

(Se estiver com muita pressa, pule a introdução do assunto em itálico)

Esta discussão sobre risco aparecia superada há algum tempo (ou simplesmente evitada). A fome por tecnologia e o transito crescente dos centros urbanos faz com que cada vez mais motoristas desejem terceirizar seu transporte. Isso tem se dado até os tempos recentes com a automação de partida, faróis, câmbio, sensores de estacionamento, sistemas de estacionamento autônomo, sensores de distância e muitos outros sistemas que foram implantados aos veículos.

Claro que esses são avanços já consolidados pela indústria, que se move de forma muito devagar quanto ao que vemos de melhorias nos veículos.

As pupilas dos olhos de todos os entusiastas são a Tesla Motors e a Google, sendo que a Tesla tem justificado seus ataques ao modelo (tanto modelo do carro, quanto de tecnologia) tendo uma produção já consolidada de veículos. A Tesla hoje já possui mais de 50,000 carros vendidos e desponta como a referência em termos de carros elétricos. Mas a questão é que a Tesla se coloca no patamar mais próximo da realização prática do tema com seu sistema de piloto automático. Existem diversos vídeos na internet que mostram funcionalidades práticas do sistema, que é capaz até mesmo de mudar de faixa se o veículo à frente estiver muito lento.

tesla2Semana passada houve uma grande discussão sobre a segurança desse sistema. O mais curioso é que o sistema em si poder estar envolvido em um acidente fatal de transito não era o ponto das

discussões. A discussão gerou-se por uma declaração dada dias antes pelo CEO e “Tony Stark” da vida real (como tem sido atribuído e contestado por muitos na internet), Elon Musk. Musk havia declarado em uma entrevista, que a Tesla seria uma empresa sólida e que possuía todas as garantias de mercado que qualquer outra empresa necessita para ser considerada como investimento seguro. Dentre estas garantias está o seguro contra acidentes fatais, que poderiam vir a ocorrer.

Tabloides e até mesmo uma revista veio a divulgar que Musk considerava que acidentes fatais seriam “parte do negócio”. Claro que essa era uma deturpação do conteúdo original da entrevista, algo que foi completamente esclarecido pela Tesla em seu site, com a republicação do conteúdo completo da entrevista.

Mas o que mais me causa espanto é que por mais que seja chocante, um acidente fatal, acontecem acidentes assim com muitos veículos, mesmo os de luxo (como a Tesla é classificada). Acidentes fatais com Mercedes-Bens, Jeep, Porsche, etc, não parecem levantar o mesmo espanto.

O espanto em si poderia atuar em favor da própria Tesla, e atuou. A pressa em gerar polêmica por parte de veículos de mídia que se mostraram não imparciais, fez com que se especulasse que teria sido falha do piloto automático. Musk defendeu ainda que a situação apresentada (um caminhão atravessando a rodovia sem aviso) seria desafiadora para qualquer motorista, sendo ele virtual ou presencial.

Elon Musk CEO da TESLA
Elon Musk CEO da TESLA

O fato em si é que acidentes acontecem, mesmo com a IA acionada. Todo e qualquer sistema é passível de falhas, fora que a expressão piloto automático não exume a responsabilidade do motorista. Veículos como aeronaves e trens possuem sistemas automáticos para muitas operações, mas o piloto, motorneiro, etc, está na posição para oferecer garantia em caso de imprevisto.

Acredito que os sistemas autônomos tenham grande validade, mas não há como não os avaliar como experimentais.

Caso venhamos a ter uma falha desse sistema no futuro, será um grande avanço, pois geralmente só quando superamos os limites atuais é que conseguimos procurar novos mais abrangentes.

No que depender de Musk, esses limites continuarão a se expandir, já que com sua aprceria com a Bosch ele está procurando por falhas e melhorias dos sistemas de detecção de ameaças.

20151022_132555Ronaldo Mendes Salles

Engenheiro Civil – Fundador do Engenheiro de pijama

One thought to “Tesla superando os acidentes de percurso”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *