Pisando pra gerar energia

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Estive lendo uma matéria muito interessante sobre a geração de energia no caminhar. Quem não é tão novo assim, deve lembrar dos tênis que tinham uma luz que acendia toda vez que você pisava e pressionava o calcanhar contra o chão. Por acaso sabia que era utilizado mercúrio para gerar uma pequena carga elétrica que fazia a lambada acender (infelizmente aqui no Brasil chegaram versões “alternativas” que suavam uma bateria mesmo)?

Tênis com "Breaklight" Inovação em 1992, chegou em 1993 no Brasil.
Tênis com “Breaklight”
Inovação em 1992, chegou em 1993 no Brasil.

A evolução desse tipo de geração de energia é o pavimento que gera uma pequena descarga elétrica quando sofre pressão sobre ele. Este tipo de pavimento já foi aplicado em diversos lugares, inclusive no estádio do Maracanã no Rio de Janeiro. A energia gerada dessa forma é de 7 watts com voltagem de 12 volts, o suficiente para que uma lampada LED de iluminação pública acenda por 30 segundos.

Como é fácil de perceber, com uma carga baixa como esta, o que faz a diferença é o tráfego (quantidade de pessoas pisando sobre as placas). Hoje o seu uso é para captação de energia em praças e passeios públicos para manter a iluminação pública acesa durante a noite e para fornecer energia em telões de propaganda em eventos esportivos. Mas os responsáveis pela invenção dessa placa, a Pavegen, empresa Startup, deseja transformar isso em uma energia mais individual, uma forma que beneficie a pessoa e não somente o local onde está a placa.

Para isso voltamos a 1992 quando foi inventado o tênis que gerava a descarga elétrica para acender a lâmpada no calcanhar. A tentativa é de transportar o mesmo sistema para a sola do calçado, de forma que se possa gerar e armazenar energia para uso pessoal. Mas quem conseguirá usar e como será usada essa energia? Ainda é tudo muito especulativo, mas a ideia principal é fornecer uma recarga de celular com a energia estocada. Conforme estudos, uma caminhada/corrida de 5000 passos, poderia gerar uma carga de 1 hora de bateria em um smartphone.

Os obstáculos diretos no momento segundo Laurence Kemball-Cook (o inventor da tecnologia) são:

  • a segurança do sistema, ao ter que ficar numa plataforma muito flexível
  • como fazer o armazenamento da energia
  • como fornecer essa energia para o usuário.

Não podemos nos esquecer de que como estamos falando de tênis e sapatos, essas tecnologias devem ser vestíveis, confortáveis e interessantes ao público, diz Kevin Martel, fundador da Harrys of London.

Um grande abraço.

Ronaldo Mendes Salles

 

Fontes e imagens:

MIT Technology Review

coisasdaminhainfancia.com

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *