Internet das coisas, que bicho é esse?

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Você provavelmente já ouviu falar desse assunto mas vamos ver do que se trata.

Cada vez mais a internet conquista espaço em nossas vidas e isso não parece ter volta. Sempre que assistimos alguma série ou filme de ficção científica nós nos deparamos com máquinas mais eficazes e com certo nível de inteligência artificial. Mas como elas se comunicam? Como podem obter dados de forma rápida e serem capazes de receber ordens remotamente? É  aí que entra a internet.

Começamos com a internet em nossos computadores, mas diferentemente dos outros meios de comunicação que possuem limites muito restritos de formato de dados, a internet é muito versátil para transmitir dezenas de formatos de informação.
Então ela passou a se expandir com a miniaturização de componentes. Chegou até nossas mãos com os celulares e agora está inserida em vários outros objetos e vestíveis.

apple watchVestíveis são aqueles itens que você pode usar no corpo e ainda sim, são artefatos com acesso à rede.

Hoje em dia as pulseiras e relógios que se conectam ao seu celular para transmitir e receber dados são populares, mas já tivemos iniciativas com óculos também. Fora aquilo que fica em contato direto conosco existem vários outro itens que recebem a internet hoje, como sua tv, e eles estão em franca expansão.

Sua casa online

Não é tão incomum mais as pessoas acessarem remotamente imagens de câmeras instaladas em um imóvel, existem aplicativos próprios para celulares que deixam essa tecnologia muito acessível, mas vamos além. Existem sistemas hoje disponíveis que permitem que as cortinas, o acionamento do alarme, temperatura do ar condicionado, televisão, etc possam ser configurados à distância. Dessa forma, mesmo pequenos esquecimento logo após a saída de uma viagem podem ser arrumados apenas utilizando programas com acesso à internet.
Sempre quis que a geladeira conseguisse saber o que tem dentro, mas até agora o mais perto que chegamos disso foram os aplicativos para facilitar o controle de despensa e algumas telas de LED nas portas das mesmas.

Está em você

GOOGLE-GLASsAlgumas pessoas acreditam que o uso intenso de aplicativos nos celulares termina por acabar com a privacidade. Mas existem aqueles que pensam justamente o inverso, querem colocar dispositivos em tudo que usam. Como na matéria sobre a produção de energia ao caminhar, adicionar GPS e um método de transmissão desses dados nos sapatos faria com que eles fossem por si só um sistema de localização e também de medição de passos. Nesse mesmo pensamento, sensores em roupas poderiam medir aumento de temperatura.

Para ser sincero, acredito que todas as iniciativas dos dispositivos vestíveis que temos à disposição hoje, ainda são muito precárias. A revolução real que espero é quando conseguirmos que cada um dos dispositivos funcione de forma autônoma, sem depender do celular como ocorre hoje.

Um grande abraço!

Ronaldo Mendes Salles

 

Imagens: 

Google

Apple

http://www.eurekaht.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *