Ensaios para a ponte

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Faz um bom tempo que falo da MX3D e sua ponte aqui no site.

Pra explicar bem rápido o que é a MX3D:

Uma empresa de tecnologia e automação que nasceu da junção das idéias inusitadas de Joris Laarman em conjunto com uma engajada equipe de robótica.

O grande motivo da empresa existir é terem conseguido a permissão para construir uma ponte de pedestres sobre um pequeno rio em Amsterdam. Essa ponte será feita de forma autônoma por robôs que farão tudo sozinhos. Veja a matéria aqui.

Agora, voltando ao assunto dessa postagem:

Acompanhando o andamento dos trabalhos, eu fatalmente me frustrei. Pois não consegui encontrar nenhum dado atualizado do progresso do projeto da ponte. Não encontrei nada de novo no site da própria MX3D, o que considerei um grande erro de marketing.

Observando o grande número de parceiros, e o porte deles como Lenovo e Autodesk, me impressiona a falta de novidades e anúncios. Como uma empresa Start-up consegue se manter-se atrativa sem publicar resultados ou progresso? Não que isso seja estritamente necessário, mas neste caso, existe uma programação com data de início e término. Quem conhece um pouco da rotina de obra, sabe que esses marcos costumam ser bem rígidos.

escult03Enquanto me preocupava com o futuro da MX3D, reparava o trabalho contínuo de Joris com outros projetos em paralelo.

Construir uma bicicleta, uma escultura complexa e por fim um painel com aparência de uma borboleta. Praticamente todos estes trabalhos feitos com o uso da tecnologia que já conquistou, formando “redes” de barras orientadas em 3D.

Joris chegou a afirmar que o projeto da ponte não tinha nenhuma inovação, já que para ele era apenas uma modificação do processo de soldagem com braços robóticos (que já são comuns em indústrias).

Para ser sincero, esta afirmação quase chegou a ser o ponto final em meu acompanhamento do processo.

“Como ele pode pensar tão pouco do trabalho que estão fazendo?” escult02

Vale explicar que assim como várias empresas correm hoje para produzir um carro que não precise de motorista. A idéia aplicada da Mx3D seria o início da construção automática, algo que ainda parece anos luz de distância da nossa realidade.

Em meio aos meus questionamentos, me deparei com uma outra entrevista de Joris. Nesta ele afirma que eles estão ainda muito incertos dos dados que possuem e que todas as iniciativas, que estão testando são para que sejam capazes de medir os protótipos e o funcionamento dos aparelhos.

O interessante é que isso me lembrou de quando tentei entrar em contato com a equipe da Mx3D. Eu tinha como objetivo, fazer uma breve entrevista com perguntas e respostas. A resposta ao meu email foi bem simples:

Nós ainda não temos informações suficientes para responder a suas questões.

Por favor entre em contato daqui alguns meses, quando devemos estar com o processo mais adiantado.

escult01Então todo este dilema ficou mais claro para mim. A equipe ainda está lutando com os problemas do trabalho remoto, afinal mais do que desenvolver uma estrutura e arquitetura como obra de arte (como é requerido pelo local da futura ponte), como poderão fazer esses braços mecânicos operar com o mínimo de intervenção humana?

A afirmação anterior de Joris sobre a tal “simplicidade” do sistema, poderia ser não mais do que uma espécie de anúncio para tranquilizar o público e os investidores.

Joris realmente pode estar mais afastado do processo da ponte neste momento do que no início. Mas isso faz algum sentido, já que como designer e arquiteto, ele tem muito o que fazer na concepção, mas agora é o momento crucial para o trabalho dos engenheiros e dos programadores que precisam transformar estas ambições em realidade.

Então Joris continua seu trabalho como “escultor” de peças inovadoras, atraindo ainda a atenção do público para si e para a MX3D  por consequência.

Um grande abraço!

Ronaldo Mendes Salles

Engenheiro Civil – Fundador do Engenheiro de Pijama

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *