Competição na faculdade

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Algumas universidades no mundo são conhecidas pelo desenvolvimento de algum tipo de veículo.

No Brasil existem algumas iniciativas que são interessantes.

Existe a competição de veículos off-road “tipo gaiola” os bajas. Estes carrinhos desengonçados enfrentam muita sujeira em busca de resistir à prova toda. Os projetos são desenvolvidos diretamente pelos estudantes, que podem contar com a consultoria dos professores para promover um melhor desempenho. Esta iniciativa é promovida pela SAE (sociedade de engenheiros de automóveis), que possui uma série de competições para estimular a aprendizagem dos estudantes de engenharia.

MINOLTA DIGITAL CAMERA

Projeto Baja:

Carros off-road que é realizado em preliminares regionais pelo Brasil e depois efetuada uma competição com estes finalistas para apuração do vencedor. As inscrições duram cerda de 3 semanas e custam R$ 1.600,00 iniciando em Outubro com provas entre 31 de Março até 03 de Abril (2016).


903_Fórmula FEI_alta
Projeto Fórmula:

É o desenvolvimento de carros monopostos de competição. A equipe é tanto avaliada quanto o carro, ela tem de apresentar relatórios mensais do desenvolvimento do projeto, relatório de custos, testes de segurança e ainda elaborar uma campanha de marketing como se estivesse realmente fazendo propaganda do carro para um patrocinador. As duas equipes que possuírem a melhor classificação final ainda são premiadas com o ingresso em duas outras competições do gênero realizadas nos Estados Unidos. As inscrições duram cerca de 5 semanas e custam R$ 1.700,00 iniciando em Março com provas em Outubro.

 

Projeto Aerodesign:

05Este programa é o mais voltado ao mercado de trabalho. Nele os alunos lidarão com questões enfrentadas por profissionais da área e terão de imaginar conceitos e soluções para melhoria das aeronaves.

Em todos os projetos estudantis citados, os alunos se envolvem desde a base do projeto, tendo de gerir todos os recursos, buscar patrocinadores e desenvolver seus protótipos. É esperado que o aluno tenha em torno de 16 horas semanais para se dedicar durante o período letivo e mais 30 horas que podem ser computadas nos períodos de férias.

Esse tipo de programa é extremamente benéfico e não é incomum ver estudantes de outras engenharias (fora a mecânica) com inveja dos colegas pela oportunidade que eles têm de fazer algo real, mesmo ainda estando na faculdade.

Um grande abraço!

Ronaldo Mendes Salles

 

Fontes e imagens:

SAE-Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *