BW EXPO – A feira

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Fiz minha primeira visita á uma BW Expo este ano e fui como curioso mesmo, engraçado como essas propagandas de feiras me atraem e claro os congressos que acontecem geralmente em paralelo.

Não basta falar, tem de fazer também.
Não basta falar, tem de fazer também.

Tudo que eu sabia é que a feira é focada em infraestrutura, itens como saneamento básico, abastecimento hídrico e sustentabilidade, palavras que podem atrair desde técnicos até gerentes comerciais. E foi bem assim mesmo. Infelizmente por uma série de compromissos na semana não pude ir todos os dias no congresso, mas ao menos no último dia assisti a três palestras muito interessantes e bem atuais com profissionais ligados à ONU e aos órgãos de abastecimento de recursos hídricos, SABESP e SANASA. O conteúdo foi muito enriquecedor e pretendo em postagens futuras publicá-las, mas agora vamos falar da feira/estandes.

Os estandes são muito ecléticos, existem aqueles estandes enormes com maquinários de escavação expostos (provavelmente pelo tema de aterros sanitários) que são comuns a quase todas as feiras relacionadas à construção, até por isso não me despertam mais tanta atenção. Estandes de tubulação em PEAD (pesquise) hora mostrando os tubos em si e outros momentos os equipamentos para execução das soldas desse tipo de tubulação. Mas entre todos esses temas alguns me chamaram mais a atenção.

20151022_140528Tancagem

Havia um estande de um fornecedor de tanques que apresentava algo interessante, o material era fornecido em chapas independentes que eram ligadas por parafusos umas às outras, o material tem acabamento vítrio. O interessante é que o fabricante solicita um engaste da chapa diretamente na base do tanque e garante que os esforços da parede do tanque são transmitidos por esse engastamento, os pinos restantes são apenas para manter o gabarito da tanque firme. Dentro das condições que foram testados a expectativa de durabilidade é de 40 anos, de acordo com o representante. A grande desvantagem é que o uso desses tanques ainda é bastante limitado, o próprio fabricante ainda não fez testes com variações de temperatura de líquido nem para testar agressividade ao armazenar compostos ácidos. Vamos esperar e ver se podem evoluir de tanques de armazenamento de água no futuro.

Isso pode elevar a eficiência de um tanque de aeração. Acredita?
Isso pode elevar a eficiência de um tanque de aeração. Acredita?

Melhoria de aeração

As vezes são as propostas mais simples que nós acreditamos menos, seria o caso do estande que mostrava um pequeno dispositivo plástico com um formato de uma roda de carro de brinquedo. Pra que serviria isso? De acordo com o fabricante, o formato estudado facilita a agregação dos microrganismos que promovem a decomposição dos resíduos em um tanque de aeração, presentes em estações de tratamento de efluentes (ETEs). Simples demais para ser verdade? Pode ser, esperemos que o mercado possa lhes dar a chance de provar seu produto.

Cisternas flexíveis

Cisternas

Cisterna para 100 litros
Cisterna para 100 litros

Já faz algum tempo que os atletas de vários esportes usam bolsas de água para se manterem hidratados, mas raramente vejo isso ser utilizado para qualquer outro fim. Mas em um dos estandes foi possível ver a proposta de utilização desse tipo de “bolsa” para transporte de líquidos. Conforme o fabricante o material é protegido contra UV de forma que nem o material nem o produto estocado sofrem com a ação do mesmo. Dessa forma é possível estocar água por muito mais tempo, o que dá sua aplicação em armazenamento de água em campanhas humanitárias e militares em regiões desérticas. Ainda questionado, foi esclarecido que existem vários compostos diferentes para casos de transporte de produtos agressivos. Apesar de meu interesse ter sido em pensar no esgotamento de bacias de contenção para produtos nocivos e contaminadores, um dos grandes atrativos alegados pelo fabricante é que o material é dobrável, que quando não está em uso ocupa um espaço incrivelmente pequeno, verdade. Infelizmente como tudo aquilo extremamente versátil e útil o custo é alto, em média R$ 1/litro estocado.

Tubos PEADTubos de PEAD

Ok, nada de tão inovador nesse caso, mas eu estava empolgado com uma das idéias que um palestrante havia citado que está em uso na Europa hoje em dia, usar tubos de PEAD enterrados para formar “piscinões” subterrâneos. Lógico que minha preocupação era onde usar isso, e logo pensei em parques gramados ou vias de tráfego. Sim, imagina se as vias (que são áreas onde nada não teremos de nos preocupar com fundações interferindo (na maioria dos casos) tivéssemos como repor a área impermeabilizada com esses tubos oferecendo um retardamento no escoamento. Por mais louca que seja a idéia a levei adiante e fiz vários questionamentos ao fabricante, que me esclareceu muitos dados (uma verdadeira aula de 5 minutos) sobre esse tipo de tubulação. Os pontos mais importantes são:

  • deformabilidade de 30% na geometria sem prejuízo à estrutura do tubo
  • testados para trem-tipo de 45tf com aterro mínimo de 1m de profundidade

Dentro do mesmo assunto, pude presenciar como é a união das tubulações de PEAD pelo método da solda térmica, muito interessante.

Este foi um resumo sobre o que achei de mais interessante da feira, nos próximos dias postarei sobre as palestras que assisti.

see you in 2017

Um grande abraço.

Ronaldo Mendes Salles

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *